A capacidade pensar nós seres humanos todos possuímos, mas a capacidade de raciocinar e refletir é previlégio para poucos.

(Jean Andrade)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

O Nosso Inferno


Já Não Basta o sistema que nos prende e nos mantém mergulhados no medo
Pois no medo consumimos mais, pois no medo confiamos em quem se apresenta como solidário,pois com medo estamos altamente vulneravéis.
Surge a religião que me aborda com discursos tiranos,não me perguntam qual minha opinião a respeito e nem abrem espaço para que eu a coloque em prática,
Diz que se eu não aceitar ou acreditar em que ela apresenta
, me rogam pragas, onde irei pra um lugar inferior quente e que tem fogo sofrimento ... Aparo é sentimento mais provável a sentir por essas pessoas, que se acham devidamente instruídas para sair falando o que lhe foi adestrado, Me atordoando com frases de opressão, .Não sabem esses coitados, que esse lugar inferior a qual eles citam, já estamos sobrevivendo e desfrutando de seus malefícios a muito tempo .
Seus líderes que estão cada vez mais envolvidos em politicagens, em escândalos e falcatruas. São os verdadeiros culpados decadência humanitária utilizam de meios sensacionalistas para poder lhe aprisionar nos momentos de escuridão. Porque então se achas com poder ou dever de me instruir com citações que ninguém jamais provará? Citações Incompreensíveis por quem provém de meios racionais.

Então vos digo esse é nosso inferno vocês vivem nele e os meios em quais vocês se relacionam, dizem que sirvo a um tal de DIABO. Aonde estará seu deus e seu céu, nesse nosso inferno CRUEL?

(Jean Nascimento)

domingo, 6 de dezembro de 2009

Problemas

Um abraço um sorriso um bom dia

Ações primordiais e necessárias

Para proporcionar alegria

Menos difícil seria se não fossem os problemas

A verdadeira causa da insuficiência de harmonia

Problemas que nos apavoram

Problemas que trazem dor

Problemas habituais

Onde conformismo se instalou

Problemas que nos oprimem

Ou ao menos tentam

Problemas perversos

São tantos os problemas que não caberia em meus versos

Encontrar os problemas tópico nada difícil

Complicado é analisar

De quem seria a culpa

Desde o planeta estar de pernas para o ar

Pois quem possui o poder de abolir ou amenizar

Do gosto amargo nunca esteve a desfrutar


(Jean Nascimento)

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Janela


Da Minha Janela Vejo Vielas

Vejo muros, ruas, becos

Vejo luzes o céu e vejo janelas

De cá vejo indivíduos

Uns com livros nas mãos

Outros por trás de cachimbos

A realidade incômoda e impetuosa

A diversidade que me alegra e me entristece

Meu refugio é a minha janela

Vejo crianças a brincar a correr a cair

Descuido-me e as perco de vista

Para onde foi as crianças que estavam aqui?

Não são mais crianças aquelas pessoas que da janela eu avistava

São homens que tomaram um outro rumo

Um caminho de escolhas erradas

Caminho sem alternativa

Pois viver da forma que dar é a lei das suas vidas


(Jean Nascimento)


quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Portas giratórias de bancos são realmente automáticas?

O núcleo audiovisual do Circo Voador fez um pequeno teste para ver como anda a segurança de uma agência bancária. Um rapaz branco entrou no banco com uma bolsa repleta de metal. Deram o mesmo metal pra um rapaz negro entrar na agência, veja o que aconteceu:
video

E Fica a pergunta as portas são verdadeiramente automáticas ??

Inclusão Digital

Formate pensamentos

Adicione reflexões e novas idéias

Exclua preconceitos e opiniões sem conceitos

Envie alegria amor e paz

Transmiti-los nunca será de mais

Bana sentimentos negativos

Comente o que não lhe agradar

De principio seja critico

Conecte-se com além

Baixe conhecimento

“Hackeie” o intelecto de cidadãos do bem

Apague qualquer ignorância

Arquive transforme crie

Pois nada é como lhe ensinaram na infância

(Jean Andrade)

Paradoxo do nosso Tempo

Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores. Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.

Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.

Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.

Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas".

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.

Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'apague'.


Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre. Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado.


(George Carlin)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Farinha do mesmo Saco




Viemos da mesma raiz

Entramos no mesmo saco

Caímos na mesma refeição

Desceremos pelo mesmo organismo

Acha-se soberana

Mais saímos do mesmo lugar

Mostra-se tirana

Em ser digerida por garfo de prata e prato de porcelana

Não desanimo e nem deixo me oprimir

Certezas únicas e absolutas

Teremos o mesmo fim


(Jean Andrade)
video


Retrato de como nossa TV, em si , manipula a cabeça do "futuro do nosso planeta"

Refleti no Mural Verde